Prescrição

Tive sim

Mas tá tranquilo é confissão

Não foi indelicadeza

Só uma sutileza 

De alguém que se deixou

Levar sem saber que era amor

Tive sim

Mas tô tranquilo é prescrição

De uma magistrada

Muita atarefada

Que esqueceu o crime maior

Esse caso eu sei de cor

Vai ver tempestade já passou

A rua como um pranto secou

E a correnteza levou toda tristeza

Que um momento de prazer

Uns segundos me fez esquecer

Mas a cidade já acordou

O vizinho já ligou liquidificador

E hoje é feriado

Dia todo nesse quarto

Para de novo perceber

Que o tempo é melhor com você

É o tempo que cola a ferida que a gente insiste em romper

É pagar para ver, é pagar para ver

Deixa, deixa, deixa, deixa

Deixa acontecer